5 melhores séries da Netflix em 2016

Catálogo do ano teve super-herói, realeza britânica e fenômeno mundial

Publicado em 29/12/2016

Entra ano, sai ano e a Netflix continua parte do orçamento mensal, afinal, as séries e filmes que o catálogo oferece são muito atrativos e difíceis de largar, não é? A temporada de 2016 foi ótima no quesito ‘séries’, com diversas produções saídas do próprio forno do canal de streaming, e como de costume, fizeram sucesso com o público. Destacamos agora as 5 principais séries do ano e você já pode optar pelo seu próximo vício:

BoJack Horseman (3ª temporada)

O desenho animado politicamente incorreto não tem o objetivo de provocar gargalhadas, mas sim criticar alguns sistemas e promover algumas reflexões, tudo com a forma satirizada e ácida do programa. Para quem gosta de desenhos, está aqui um de qualidade.

The Get Down (1ª temporada)

Uma das maiores produções da história da Netflix agrada a muitos pelo seu visual retrô e por contar a história de MCs, DJs e tudo relacionado ao Hip Hop. A série divide opiniões, mas com certeza ganhou adeptos e deixou muita gente ansiosa pela continuação.

Demolidor (2ª temporada)

A parceria entre Netflix e Marvel tem rendido bons frutos para as empresas e os consumidores, e neste ano foram dois sucessos: Demolidor e o mais recente, Luke Cage. A segunda temporada do homem sem medo melhorou em tudo a qualidade e ampliou o universo do herói, introduzindo novos personagens nos episódios.

The Crown (1ª temporada)

A mais do que conhecida história da Rainha Elizabeth ganhou uma adaptação do canal streaming, e tem uma ambientação incrível, com interpretações de altíssimo nível, com destaque para John Lithgow, que faz Winston Churchill de forma magistral.

Stranger Things (1ª temporada)

O fenômeno da Netflix chegou com tudo, sendo motivo até para que as pessoas não cadastradas aderissem ao serviço. As crianças mais populares do mundo deixaram todos já no clima para a segunda temporada. A série é sobrenatural, de ficção científica, talvez até de alienígenas? Ninguém sabe (ainda).

Foto: Divulgação